Tem uma boa notícia para dar?

Com cinco cartas numeradas nas mãos, pedi para escolherem entre os números para abri-las. Em cada carta tinha um tema: uma boa notícia da ciência, uma boa notícia sobre a igreja, uma sobre a fé, também sobre o amor ao próximo, e por último, esperança.

Conectados via vídeo conferência, cada um falava sobre uma boa notícia. Na verdade, poderíamos citar várias boas noticias sobre cada tema. Fomos nos alegrando a cada notícia reportada pelos participantes do grupo.

Assim era nos tempos do Apóstolo Paulo, suas cartas eram portadoras de “boas novas” e passavam de igreja a igreja. Não eram lidas somente no destinatário, mas outras igrejas eram fortalecidas por seus conteúdos.

As cartas de Paulo tinham um grande diferencial das demais correspondências, elas levavam vida, esperança e fé. A palavra de Deus nos dá paz e amor, e rompe com as trevas que nos cercam. Onde a luz brilha… trevas são dissipadas.

Assim em nossa célula virtual, após a dinâmica das cartas, lemos um trecho da Segunda Carta aos Coríntios, capitulo oito, onde Paulo falava sobre o milagre que estava acontecendo na Macedônia, que no meio de uma grande tribulação, a alegria (mundo interior) e a pobreza (mundo exterior) resultaram no “transbordar” da generosidade. Ou seja, em um momento de grande dificuldade muitas pessoas foram generosas e doaram muito para os necessitados. Bem parecido com agora, não é verdade?

Precisamos das boas novas de Deus, e nas células virtuais, cada um em sua casa, unidos em Cristo, mas distantes fisicamente, podemos compartilhar a palavra de Deus que renova nossas forças e nos dá esperança para o futuro. Porque podemos passar por uma grande tribulação, mas essa não é capaz de destruir a alegria que existe dentro de nós.

Assim compartilhamos e oramos, sendo mutuamente abençoados naquele momento.

As células virtuais nos proporcionam momentos especiais de comunhão.

Moisés Nogueira de Faria
Pastor Comunidade Evangélica Casa de Paz

Tags: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Podemos ajudar?